Portugal reforça cooperação ambiental com Cabo Verde

0
Portugal vai reforçar este ano o apoio a Cabo Verde na área ambiental viabilizando cerca de um milhão de euros para dar seguimento aos projetos de resíduos, segurança das barragens e apoio técnico no setor da água.
O ministro do Ambiente de Portugal, Pedro Matos Fernandes, adiantou esta informação no final da sua visita de dois dias a Cabo Verde, que incluiu deslocações às ilhas do Sal, Fogo e Santiago.
«Para 2018, a verba atribuída a Cabo Verde, no contexto do Fundo Ambiental, é de aproximadamente um milhão de euros» para projetos como a continuação do roteiro dos resíduos, do plano de segurança das barragens, dos planos de albufeiras e de assistência técnica a empresas de águas, disse Matos Fernandes.
Inaugurada em janeiro e cofinanciada pelo Fundo do Ambiente e pelo Instituto Camões, a mini-ETAR do Palmarejo é uma estrutura que trata, para uso na rega, parte dos efluentes da zona, nomeadamente líquidos provenientes de esgotos, indústrias e redes pluviais, tendo sido um dos projetos emblemáticos da cooperação ambiental portuguesa em 2017.
«A ETAR do Palmarejo é o exemplo mais tangível daquilo que foi a cooperação no ano passado através do Fundo Ambiental», disse o ministro. O apoio de Portugal às candidaturas das ilhas do Fogo e Maio à classificação como Reservas da Biosfera da UNESCO, foi igualmente sublinhado pelo membro do governo numa sessão de apresentação na ilha do Fogo.
Durante a visita a Cabo Verde, Pedro Matos Fernandes, assinou também, na ilha do Sal, com a ministra das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Silva, um protocolo para a continuidade do apoio técnico ao programa de reabilitação dos bairros de barracas no Sal e Boavista.
«O facto de o dinheiro ter sido logo todo aplicado e da forma como foi é sinal do dinamismo e do compromisso de Cabo Verde com estas matérias», disse o ministro, mostrando-se confiante que este ano a cooperação será ainda melhor.
Por sua vez, o ministro do Ambiente de Cabo Verde, Gilberto Silva, destacou o «espírito de pragmatismo» da cooperação entre os dois países na área ambiental, mostrando-se satisfeito com a «duplicação dos recursos» disponibilizados por Portugal.
Cabo Verde atravessa uma das piores secas das últimas décadas e algumas das barragens do país, nomeadamente a do Poilão, na ilha de Santiago, encontram-se sem água.
«A prioridade é a mobilização da água para podermos mitigar toda a aflição que os agricultores têm neste momento. Isto tem de ser feito com alguma rapidez porque ainda faltam muitos meses para o novo período de chuvas», disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor, preencha seu nome auqi